O verão é uma estação querida por muitos e nem tanto por outros. Milhares de pessoas preferem o verão para tirar suas férias e viajar — porém, uma característica dessa estação no Brasil são dias de calor opressivo, que podem causar situações sérias. O alto calor não é um indicativo de que uma praia ou piscina serão refrescantes, pois a pessoa ainda estará exposta a raios solares agressivos.

Os cuidados com a pele no verão sempre podem ser estendidos a outras estações também, mas precisam ser redobrados durante esses dias de calor. Quando há crianças em casa, é importante que elas observem as atitudes que os pais tomam e aprendam hábitos de autocuidado desde pequenas. Acompanhe o texto, veja alguns cuidados com a pele no verão e proteja-se!

Use protetor solar corretamente

Alguns produtos de maquiagem já têm algum fator de proteção solar, mas esse não pode ser o motivo de substituição desse item. A quantidade adequada de protetor é uma colher de chá para o rosto e pescoço para que haja proteção efetiva na pele — essa é uma quantidade diferente da encontrada na maquiagem. Não se esqueça de passar até na parte externa das orelhas!

O fator de proteção UVA do filtro solar deve ser escolhido não apenas conforme o tom da pele (quanto mais clara, maior deve ser), mas também é importante escolher o fator de proteção UVB, que significa a barreira defensiva mais profunda na pele. Geralmente, essa informação deve constar na embalagem do protetor. Sendo assim, faça questão de comprar produtos que declarem o fator UVB.

O protetor solar pode ser físico (com elementos minerais que criam barreira física na pele contra raios solares), químico (com elementos leves que penetram na pele para criar a barreira), ou híbrido (com ambas as fórmulas). Um erro é se achar protegido mesmo com a barreira física e não fazer a reaplicação ao longo o dia. Quanto maior o tempo de exposição ao sol e maior a temperatura, maior também será a necessidade de reaplicação.

Pelo menos, a cada 3 horas de exposição, é preciso reaplicar o filtro. Caso seja químico ou híbrido, é preciso esperar cerca de 15 minutos após a aplicação para, então, sair no sol protegido. Escolha 2 protetores solares — um para o corpo e outro para o rosto. A regra de reaplicação é a mesma.

Mantenha a pele limpa

A limpeza facial é um dos cuidados com a pele no verão que não pode faltar. Com o clima mais seco durante o calor intenso, as partículas de poeira e poluição penetram facilmente nos poros, causando obstrução e danificando as camadas mais profundas da pele. Isso causa envelhecimento precoce e pode colaborar para o aparecimento de acne, cravos, manchas e até de câncer de pele.

É importante escolher um sabonete de limpeza próprio para o rosto e para o seu tipo de pele. No caso de crianças, que não têm tantos poros abertos, um sabonete ou shampoo neutro infantis podem bastar. A higienização deve ser feita de manhã e à noite. Ao longo do dia, também pode ser necessária, caso retornem de algum lugar em que houve tempo de exposição à poluição.

Beba bastante água

A evaporação de água no corpo é mais acelerada com o calor intenso. Ela deve ser reposta no organismo e também é uma forma de proteção contra os danos dos raios ultravioletas na epiderme, pois auxilia no revestimento das células, que não morrerão tão rápido. Assim, a água ajuda a evitar queimaduras solares, além de acalmar e realmente refrescar o corpo.

O hábito de beber, no mínimo, 2 litros de água por dia é saudável de ser aprendido pelas crianças. Para que você e seus pequenos tenham esse costume, é válido comprar garrafinhas com estampas divertidas e levá-las sempre consigo. Além de hidratação, essa prática garante menos danos ao meio ambiente com um gasto menor de plástico.

Evite exposição ao sol em período grave

No período entre 10 horas e 16 horas, o sol se encontra em maior intensidade e os raios ultravioletas são mais fortes. Muitas pessoas têm o hábito de ficar em praias e piscinas nesse horário, o que pode ser perigoso. Tanto o sal do mar quanto o cloro da piscina são fatores de agressão e desidratação da pele. Além de retirarem a camada de filtro solar, eles podem aumentar o risco de insolação e queimaduras.

Como o calor no Brasil é intenso na maior parte do dia, você ainda poderá aproveitar a praia e a piscina com segurança maior ao dar preferência a banhos fora desse período. Ademais, é sempre importante levar óculos de sol de qualidade confiável e chapéus e abrigar-se em um guarda-sol.

Consuma alimentos ricos

Alimentos ricos envolvem frutas e verduras — especialmente as que têm betacaroteno. O betacaroteno é um elemento natural que auxilia na proteção solar das células, revestindo-as com essa proteção (o que não deve ser motivo de diminuir o uso de filtro solar). Geralmente, essa substância é encontrada em frutas e legumes de cor alaranjada, como a cenoura.

Além da boa alimentação fazer parte dos cuidados com a pele no verão, essa também é uma boa forma de ensinar bons hábitos alimentares para as crianças. Você pode incluir mais frutas e legumes em todas as refeições. Eles também trarão sensação de mais alívio, menos inchaço e menos peso, diferentemente de alimentos pesados e com muito carboidrato.

Aplique hidratante calmante pós-sol

Hidratar a pele após a exposição solar é muito importante, mesmo que você não tenha ficado exposto no período entre 10 horas e 16 horas. Os raios ultravioletas também são acumulados em paredes, o que pode causar a sensação de calor intenso dentro de um ambiente — e a pele permanece quente e recebe esses raios (por isso, o protetor deve ser passado mesmo para ficar em ambientes internos).

Uma loção hidratante calmante pós-sol deve ser passada, especialmente à noite, nos primeiros minutos após o banho, para reter a água na pele. Ela pode ser composta de ingredientes calmantes naturais, como a camomila, o aloe vera, a lavanda, o pepino ou o chá-verde.

Os cuidados com a pele no verão não podem ser ignorados e precisam representar uma regra importante a ser seguida, especialmente com crianças, cuja pele é mais fina. Os raios ultravioletas são acumulativos na pele. Ou seja, quanto maior o tempo de exposição a eles — e o período total ao longo da vida —, mais danos o sol pode causar na estrutura da pele e da epiderme.

Quer acompanhar mais dicas? Siga-nos nas redes sociais! Estamos no Facebook e no Instagram